1. capa
  2. Negócios
  3. Economia
  4. Política
  5. Ambiental
  6. Cidades
  7. Opiniões
  8. Cultura
  9. Oportunidades
  10. vídeos

ANADEF Propõe Debate Pela Indicação de Defensores Públicos na Corte Maior

enviar por email

06/02/2017

O falecimento do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), que perdeu a vida de forma trágica e prematura, abriu uma acirrada disputa entre relevantes carreiras do Judiciário acerca da indicação do nome pelo presidente da República, Michel Temer, para composição do cargo vago na Suprema Corte.

Diante de tal cenário, a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais – ANADEF propõe um importante debate pela inclusão e reconhecimento da carreira do Defensor Público Federal na composição dos tribunais do País.

A carreira do Defensor Público Federal se consolidou como instrumento de afirmação da democracia, sendo responsável pela defesa judicial e extrajudicial de mais de 140 milhões de brasileiros em situação de pobreza. Com a incumbência constitucional de promover os direitos humanos e prestar assistência jurídica, integral e gratuita ao cidadão necessitado, os defensores públicos têm se manifestado constantemente acerca de questões envolvendo direitos fundamentais, desempenhando um papel protagonista na proteção dessas garantias. No entanto, nunca houve a indicação de membros da carreira na composição de nenhum dos órgãos do Poder Judiciário.

 Os membros da Defensoria Pública da União possuem atribuição legal para atuar perante os cinco Tribunais Regionais Federais do País, Tribunais Regionais Eleitorais, Tribunais Regionais do Trabalho, Tribunal Superior Tribunal Eleitoral, Tribunal Superior do Trabalho, Superior Tribunal Militar, Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal.

Ademais, a Defensoria Pública da União (DPU) se destaca por atuar com equipe dedicada exclusivamente perante o STF, por meio de um grupo de assessoramento especial que conta atualmente com cinco Defensores Públicos Federais. Juntamente com o Defensor-Geral, esse grupo é responsável pelos processos de assistência jurídica da população hipossuficiente provenientes da atuação dos defensores públicos federais perante a primeira e a segunda instância e das unidades da Defensoria Pública Estadual de 19 estados da Federação.

Tal quadro representa o preparo e a relevância da participação dos defensores não somente na composição da Suprema Corte, como, também, dos Tribunais Superiores e Tribunais Regionais Federais, com o intuito de fortalecer e complementar o trabalho exercido junto ao s Judiciário, viabilizando atuação voltada não apenas à concretização dos ditames constitucionais, como também, e especialmente, ao respeito pelos direitos das minorias.

Governo Quer Aniquilar a Polícia Investigativa

Associação Nacional das Mulheres Policiais diz que governo usa a Reforma da Previdência para “aniquilar” as Forças de Investigação da Segurança Pública e está promovendo o “holocausto” das policias brasileiras...


Ver para Crer, a Lava Jato, Fedeu!

Não há nada de muito novo na divulgação da Odebrecht sobre os “santinhos” do Espírito Santo. Dos vários que foram mencionados, sejamos francos...


Projeto de Lei na Câmara dos Deputados Obriga Preso a Indenizar Vítima

A crise penitenciária que assustou o país no início de 2017 reacendeu o embate entre os defensores dos direitos humanos e aqueles que são contrários a qualquer tipo de benefícios para os presos...


Planejamento de Carreira e Metas na Busca Por Nova Vaga na Crise

A Eliana Dutra, Coach, CEO da ProfitCoach e referência na área, conta que atitudes podem ajudar os brasileiros a conquistar uma oportunidade, como a definição...


Mais Ciclovias e Calçadas. Retrocesso não!


MPES Abre a “Caixa Preta” da Cesan e Justiça Pede Esclarecimento

Um dia a casa cai! Depois que o “Baianinho” caiu na “malha fina” da Lava Jato, tudo vem a tona. E já começaram a investigar mais profundamente as falcatruas da empresa Delta...


Ver mais