1. capa
  2. Negócios
  3. Economia
  4. Política
  5. Ambiental
  6. Cidades
  7. Opiniões
  8. Cultura
  9. Oportunidades
  10. vídeos

Machismo Impede Mulher na Política do Brasil

enviar por email

16/10/2017 - por Paulo César Dutra

 
O machismo institucionalizado continua sendo um dos temas de maior debate público no Brasil, principalmente na política, onde a desigualdade entre homens e mulheres. O resultado da última eleição municipal foi o revelador da sub-representação política das mulheres, que somam 50,5% da população brasileira: dos 5.568 municípios brasileiros, elas estão administrando, a partir de 1º de janeiro de 2017 apenas 638, o equivalente a 11,5% do total de prefeituras. 

No Brasil, a representação das mulheres na política não tem acompanhado os avanços conquistados em outros setores da sociedade, como no mercado de trabalho e, sobretudo, na educação. Hoje, o número de mulheres no ensino superior supera o de homens.

Apesar do cenário instável e pouco animador para as mulheres, com o aumento da corrupção entre os homens na política nacional, é otimista o resultado das eleições de 2018. O contexto é favorável para que o país dê um salto no que diz respeito à representação da mulher na política.
 
No final de setembro, a Folha de S. Paulo publicou uma reportagem sobre um estudo assinado pelo professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) Paulo Arvate, em parceria com Renan Pieri, também da FGV, e Sérgio Firpo, do Insper sobre o impacto das eleições de mulheres nos pleitos.   

O estudo mostra algo que é perceptível aos olhos da sociedade. A reserva de 30% das vagas de candidatura não se traduziu na proporção de eleitas. Em 2016, mulheres representaram 13,5% dos vereadores eleitos. Na Câmara Federal, a fatia cai para 9,94%. A combinação das imagens dos 513 deputados federais em setembro deste ano mostra que o rosto da Câmara é branco e masculino. O Brasil ocupa a 153ª posição entre 193 países em relação à presença de mulheres parlamentares.

No Espírito Santo os dados relativos à eleição de 2016 mostram um retrato desolador para as mulheres. Dos 271 candidatos a prefeitos, apenas 20 eram mulheres, o que corresponde a 7,13%. Dos 78 prefeitos eleitos no Espírito Santo, apenas quatro mulheres. Dos 856 candidatos eleitos para as câmaras municipais, 777 são homens, o que corresponde a 91% dos assentos. Apenas 79 mulheres conseguiram se eleger, representando 9% dos plenários das câmaras municipais. Nas eleições de 2014, o resultado na Assembleia Legislativa de 30 parlamentares, apenas quatro são mulheres. Na Câmara dos Deputados, das dez vagas apenas uma mulher. E nas três vagas do senado, uma mulher. No governo do Estado, sempre foi Clube do Bolinha.
Será que em 2018 será diferente para as mulheres capixabas? Tem partido que inscreve a mulher como “laranja” para cumprir o que determina a lei!
 

Ex-Juiz do Caso Eike é Condenado a 52 Anos de Prisão

O juiz Flávio Roberto de Souza, que foi flagrado dirigindo o Porsche apreendido de Eike Batista em fevereiro de 2015, foi condenado entre esta segunda-feira ...


Ossada de Desaparecido Político da Ditadura Em 1971 é Identificada

As ossadas do paulista Dimas Antônio Casemiro, torturado e morto pela ditadura em 1971, foram identificadas neste mês, quase 50 anos depois...


STF Determina Transferência de Travestis Para Presídio Feminino

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinou que duas detentas, que se identificam como travestis, sejam transferidas para um estabelecimento prisional feminino...


ONU Estima Que Mais de 1 Milhão Deixou Venezuela Nos Últimos 3 Anos

O Alto-Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) que acompanha a situação da Venezuela estima que mais de 1 milhão de venezuelanos já deixaram o país e 110 mil pediram refúgio...


Gilmar, Toffoli, Lewandowski e Fux Na Mira Dos Pedidos De Impeachment

Da onda de pedidos de impeachment de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) no Senado Federal iniciada em 2016, quatro solicitações ainda estão em tramitação...


Mais De 20 Nomes Sonham Em Conquistar a Presidência

Além de políticos tradicionais, o pleito de outubro de 2018 deve ter caras novas como apresentadores de TV, banqueiros, um líder sem-teto, um cabo bombeiro e até um cirurgião plástico...


Ver mais