1. capa
  2. Negócios
  3. Economia
  4. Política
  5. Ambiental
  6. Cidades
  7. Opiniões
  8. Cultura
  9. Oportunidades
  10. vídeos

Ku Klux Klan, KKK ou Simplesmente Klan Volta Atacar nos EUA

enviar por email

21/08/2017 - por Paulo César Dutra

Os Estados Unidos da America do Norte - EUA mais uma vez mostra ao Mundo que a liberdade de manifestação racista extrapola todos os direitos humanos.  Especialistas da ONU constataram que o racismo e a xenofobia aumentaram nos EUA no contexto dos recentes acontecimentos em Charlottesville, estado da Virginia. A informação foi divulgada pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos – ACNUDH . Com as comunicações modernizadas nós estamos vendo esses eventos, ao vivo e a cores como os exemplos mais recentes do crescente racismo e discriminação racial, da violência racista e da xenofobia naquele país.

Os especialistas expressaram preocupação com a  proliferação e crescente proeminência do ódio organizado e dos grupos racistas nos EUA. O governo norte-americano, seundo os especialistas, deve ficar mais vigilante no combate a todos os atos de racismo, xenofobia e violência racista onde quer que ocorram. A ONU em um comunicado pediu às autoridades norte-americanas para que tomem medidas para impedir naquele país a realização de manifestações que incitem a violência racial.

A ONU contesta e condena o que ocorreu recentemente, quando  centenas de nacionalistas desfilaram pelas ruas da cidade de Charlottesville carregando tochas e gritando insultos contra negros, judeus, imigrantes e homossexuais. Uma mulher que protestava contra a ação dos supremacistas brancos e neonazistas foi morta em um ataque por atropelamento.

A KKK

Ku Klux Klan  também conhecida como KKK ou simplesmente "o Klan", é o nome de três movimentos distintos dos Estados Unidos, passados e atuais, que defendem correntes reacionárias e extremistas, tais como a supremacia branca, o nacionalismo branco, a anti-imigração e, especialmente em iterações posteriores, o nordicismo, o anticatolicismo  e o antissemitismo, historicamente expressos através do terrorismo voltado a grupos ou indivíduos aos quais eles se opõem. Todos os três movimentos têm clamado pela "purificação" da sociedade estadunidense e todos são considerados organizações de extrema-direita.
A primeira Ku Klux Klan na verdade foi fundada pelo general Nathan Bedford Forrest da cidade de Pulaski, Tennessee, em 1865 após o final da Guerra Civil Americana. Seu objetivo era impedir a integração social dos negros recém-libertados, como por exemplo, adquirir terras e ter direitos concedidos aos outros cidadãos, como votar. 

O nome, cujo registro mais antigo é de 1867, parece derivar da palavra grega kýklos(do grego κύκλος), que significa "círculo", "anel", e da palavra inglesa clan (clã) escrita com k. Devido aos métodos violentos da KKK, há a hipótese de o nome ter-se inspirado no som feito quando se coloca um rifle pronto para atirar. Provavelmente o nome também pode ter origem no nome de um templo maia, chamado kukulcán, onde segundo os maias, "kukul" significa sagrado ou divino e "can" significa serpente, mas não existem dados que comprovem isso.

Em 1872 o grupo foi reconhecido como uma entidade terrorista e foi banida dos Estados Unidos. O segundo grupo que utilizou o mesmo nome foi fundado em 1915 (alguns dizem que foi em função do lançamento do filme O Nascimento de uma Nação, naquele mesmo ano) em Atlanta por William J. Simmons. Este grupo foi criado como uma organização fraternal e lutou pelo domínio dos brancos protestantes sobre os negros, católicos, judeus e asiáticos, assim como outros imigrantes. 

Este grupo ficou famoso pelos linchamentos e outras atividades violentas contra seus "inimigos". Chegou a ter quatro milhões de membros (outros dizem serem cinco milhões) na década de 1920, incluindo muitos políticos. A popularidade do grupo caiu durante a Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial, já que os Estados Unidos se posicionaram ao lado dos aliados, que eram contrários à ideias totalitárias, extremistas e racistas, como as nazistas.
 
A terceira e atual manifestação da KKK surgiu depois de 1950, sob a forma de grupos pequenos, locais e desconexos que fazem uso do nome KKK. Eles se concentraram na oposição ao movimento dos direitos civis, muitas vezes usando violência e assassinatos para reprimir ativistas. É classificado como um grupo de ódio pela Liga Antidifamação e pelo Southern Poverty Law Center.
  
Estima-se ter entre 5.000 e 8.000 membros atualmente. A segunda e a terceira encarnações do Ku Klux Klan faziam referências frequentes ao sangue "anglo-saxão" dos Estados Unidos, que remete ao nativismo do século XIX. Embora os membros da KKK jurem defender a moralidade cristã, praticamente todas as denominações cristãs oficialmente denunciaram as práticas e ideologias da KKK.

 

500 Anos da Reforma Protestante-1517 – 2017

Quando afixou suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, também conhecida como Igreja de Todos-os-Santos de Wittenberg...


Divórcio Entre Imprensa e Sociedade

Virou mais um clichê afirmar que determinada cobertura ou imagem mostrada não seria papel da imprensa. E aqui vale a menção para todos os veículos de comunicação de massa...


Caminho do Pior Desastre Socioambiental do País

Após um ano, Estado de Minas refaz caminho do pior desastre socioambiental do país e revela, pelas histórias de 10 atingidos pela tragédia...


Teatro da Vertigem Chega à Capital Capixaba

Após passar por Recife e Salvador, o projeto Kafka na Estrada – um projeto de viagem, do Teatro da Vertigem, chega a Vitória para temporada inédita...


Ver mais