1. capa
  2. Negócios
  3. Economia
  4. Política
  5. Ambiental
  6. Cidades
  7. Opiniões
  8. Cultura
  9. Oportunidades
  10. vídeos

Empresas Aderem a Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero

enviar por email

17/05/2017

Da: Redação*
 
 O lançamento da Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero, promovido pelo Instituto Ethos e CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades) conseguiu a adesão de 20 empresas, que se comprometeram a promover inclusão, disseminar a cultura da equidade com fornecedores e prestadores de serviço, mas – acima de tudo –se propuseram agir para acelerar o processo de igualdade com ações afirmativas e marketing das boas práticas.
            
“Hoje nos preocupa o retrocesso em políticas públicas e a necessidade de articular a sociedade civil e setor privado para promover boas práticas de inclusão, de equidade para uma economia mais justa. Foi incrível receber doze empresas para assinar o documento de adesão à Coalizão e mais oito empresas, de pequenas a multinacionais, que literalmente se levantaram para apoiar e aderiram ao grupo. Essa é a prova que essa agenda é prioridade e precisa ser acelerada”, diz Caio Magri, diretor presidente do Instituto Ethos.
            
Com a troca de experiências de empresas e instituições, uma conclusão foi consenso: sem o envolvimento do CEO e da diretoria das empresas, a equidade será lenta. Quem levantou a bandeira foi o presidente da Bayer do Brasil, Theo van der Loo, que mostrou a necessidade de mudar o ambiente corporativo com negros, mulheres e homens, respeitando a identidade de gênero e promovendo metas de contratação e geração de empregos para jovens. ”Precisamos promover diversidade a partir dos estagiários, fomentar o acesso ao mercado de trabalho. Os CEOs precisam estar engajados, pensar como um negro, ter política salarial igual para homens e mulheres, se colocar no lugar do outro. Precisamos acelerar essa mudança, enfrentar a inclusão e não esperar mais duas, três décadas”.

 Como um dos apoiadores da Coalizão Empresarial, o Fundo Newton, que investe em projetos de intercâmbio de conhecimento e ações culturais, acredita que o desafio justifica o investimento: “O reconhecimento da diferença, da diversidade é fonte de riqueza e prosperidade”, destacou Diana Daste, gerente sênior do Fundo Newton.
Acreditar que o mundo corporativo precisa se engajar com a equidade racial e de gênero é comprovado em números dos dados públicos, como os 40% de alunos negros nas universidades que vão para o mercado de trabalho, como mostrou a diretora executiva do CEERT, Cida Bento: “O Estado deu passos significativos para incluir o jovem negro ou pobre na educação. A bola da vez está com as empresas para construir uma base sólida de inclusão. De maneira qualificada na prática da equidade racial e de gênero para o desenvolvimento e justiça para todos. A Coalizão Empresarial é a oportunidade de mostrar boas práticas e provocar as empresas a promover diversidade como estratégia e modelo de negócio”.
 
Já os números apresentados pelo BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento – mostram que em 20 anos pouco mudou no Brasil quando se trata de igualdade. “O Brasil está num momento difícil, mas é preciso falar da importância da competitividade, como ter mais mulheres e negros nos Conselhos Administrativos e postos de direção. Para isso é preciso assumir responsabilidades, como a Coalizão Empresarial”, destacou Judith Morrison, Assessora Principal da Divisão de Gênero e Diversidade do BID.

O Professor Hélio Santos, presidente do Board do Baobá- Fundo para Equidade Racial, entidade que mobiliza pessoas e recursos para apoiar projetos em prol da equidade racial, fez várias provocações aos empresários: “Crise é ausência de Projeto de Nação. Precisamos apostar na excelência de pessoas, nos talentos, criar microcrédito para empreendedores negros, homens e mulheres que ajudem a diminuir as desigualdades de gênero e cor”.

Para alinhar a equidade como política corporativa, as empresas de varejo já mudaram seu marketing, com produtos específicos para a pele negra e publicidade com modelos afrodescendentes, como fez a Avon, Natura, Carrefour, Walmart e Coca-Cola Brasil, além dos bancos. E até na cultura, os modelos de adesão de projetos precisam respeitar a diversidade, como explicou Emilia Carmineti, técnica do SESC-SP: “É importante valorizar a individualidade, as muitas vozes”.
 
 Foram muitos exemplos de ações afirmativas, mudanças nos paradigmas de seleção e recrutamento e, mais que ações simbólicas, as empresas mostraram estar comprometidas em mobilizar sua cadeia de fornecedores, prestadores de serviço e consumidores para promover diversidade.
 
As primeiras empresas a aderir à Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero são: Agência Única, Avon, BRH Brasil, Carrefour, Coca-Cola, Faculdade Montessoriano, Gente Bonita, Integrare, Leão Alimentos e Bebidas, LiDiversas, McDonald´s, Natura, Promon Engenharia, Santo Caos, Simões Advogados, Takao Diálogos, TriCiclos, Verbo Mulher, Walmart e White Martins.
            As informações completas, objetivos e termos de adesão estão no site http://www.equidade.org.br/
 
A Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero é uma iniciativa do Instituto Ethos, do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT) e do Institute for Human Rights and Business (IHRB), com apoio do Movimento Mulheres 360, do Instituto Carrefour, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do programa Fundo Newton, oferecido pelo governo do Reino Unido e pelo Conselho Britânico.
 Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero
Fontes – Caio Magri – Instituto Ethos
Cida Bento - CEERT
http://www.equidade.org.br
  

 

Prefeitura de Viana Inaugura Horta Comunitária em Areinha

No Dia Mundial da Alimentação, os moradores de Areinha, no município de Viana, ganharam uma horta comunitária, passando a ter acesso a alimentos frescos diretamente da horta e tudo de graça...


TJES Elege o Desembargador Sérgio Gama Para Presidir o Poder Judiciário

Desembargadores Ney Coutinho, Sérgio Gama, Samuel Brasil e Carlos Simões. (divulgação)


Diante do Corpo de Che Guevara

Em 10 de outubro de 1967, o corpo do guerrilheiro argentino Ernesto "Che" Guevara foi exposto, um dia depois da sua morte, em um necrotério improvisado em Valle Grande, sul da Bolívia, onde ele tentava lançar uma revolução...


A lenda Hyldon e Cirinho do Rio Doce juntos em Linhares

O baiano radicado no Rio de Janeiro, Hyldon de Souza Silva, o Hyldon, consagrado cantor e compositor da MPB com os sucessos das músicas...


Frota Das Sucroalcooleiras Pode Substituir Diesel Por Etanol no Brasil

A proposta, que será debatida pelo INEE - Instituto Nacional de Eficiência Energética - no IV Seminário Sobre Etanol Eficiente...


Moro Dá 48 Horas a Lula Para Entregar Recibos Originais de Aluguel

O juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, deu prazo de 48 horas para a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregar na Secretaria da 13.ª Vara Federal de Curitiba...


Ver mais