1. capa
  2. Negócios
  3. Economia
  4. Política
  5. Ambiental
  6. Cidades
  7. Opiniões
  8. Cultura
  9. Oportunidades
  10. vídeos

Juiz Trabalhista Não Deixa Procurador Participar de Audiência Sem Gravata

enviar por email

20/03/2017

Por: Redação*
 
O juiz do Trabalho Luiz Henrique Marques da Rocha, da 21ª vara de Brasília, no Distrito Federal, se recusou a começar uma audiência no último dia 15, pela ausência de gravata nos trajes do procurador. O início da audiência foi atrasado em meia hora. O uso da gravata não é obrigatório no local. De acordo com a ata de audiência, o procurador, Hugo Fidelis Batista, afirmou que vestiu-se “adequadamente” para a audiência, marcada para as 8h50. Contudo, um pouco antes do horário marcado, percebeu ter esquecido a gravata.

No início da sessão, às 9h17, o procurador foi alertado pelo magistrado sobre a falta do acessório. O juiz falou “da necessidade de utilização de gravatas para o comparecimento às audiências dirigidas por ele”. Em resposta, Hugo disse que o traje completo não é obrigatório.

O episódio foi registrado em uma ata de audiência, encaminhada para a Procuradoria Geral do DF e para a Ordem dos Advogados do Brasil. No documento, o juiz avisa que, mesmo sem norma prevista, Hugo “deveria pelo menos prezar pelo costume e tradição”. Marques da Rocha também diz que, sem gravata, "advogado não sentará à mesa de audiência [com ele]".

“Salvo ocorrência de circunstâncias urgentes bem como devidamente alertados, qualquer profissional do direito ou advogado das partes que compareçam a audiência sem portar gravata e mencionando a desnecessidade da utilização de gravata, como defendido pelo ilustre procurador, não se sentará à mesa de audiência.”
 Paletó e gravata abolidos

 
Os advogados fluminenses e capixabas puderam afrouxar o nó da gravata. Isso porque o Tribunal Regional do Trabalho - TRT da 1ª região e o Tribunal da Justiça do Espírito Santo TJ/ES decidiram facultar o uso de paletó e gravata, durante o período de verão, nas dependências das unidades. A disposição levou em conta que a temperatura no verão dos Estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo tem ultrapassado a casa dos 40 graus, podendo a sensação térmica alcançar até 50 graus.

Pelo disposto, fica facultado a magistrados, advogados e servidores, no período de 1º de dezembro a 17 de março, não utilizarem paletó e gravata para despachar e transitar nas dependências das unidades de 1º e 2º graus. A dispensa abrange a participação nas audiências de 1º grau, bem como nas sessões das turmas, seções especializadas, Órgão Especial e tribunal pleno, nas quais, no entanto, deverá ser observado o uso de calça social e camisa social devidamente fechada.
 
 

Estudantes do Ensino Médio no Brasil se Mostram Indecisos Futuro

As universidades podem combater esse problema de percepção demonstrando experiência de aprendizagem permanente, relevante para o mercado de trabalho...


Rosemery Será a Salvação da Eleição 2018 e do Brasil

Lembram da ex-chefe regional da Presidência da República em São Paulo e amante do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Rosemary Nóvoa Noronha, indiciada pela Polícia Federal...


STJ Pode Processar Governador Sem Autorização da Assembleia

O Superior Tribunal de Justiça – STJ pode processar o governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT) por crime comum sem a necessidade de autorização da Assembleia Legislativa...


Associaçao Nikkei Realiza 48º Festival de Culinária Japonesa

A Associaçao Nikkei de Vitória realiza no próximo sábado (27), das 18 às 22 horas, o 48º Festival de Culinária Japonesa. O Yakisoba, o Tempurá...


Ver mais